Fast Foods contribuem para obesidade, Alzheimer e até infertilidade

Publicado na revista New Scientist, um novo estudo realizado em ratos de laboratório, que comprova que a exagerada ingestão de gordura de fast foods, além de causar obesidade, pode ser responsável por desencadear problemas no cérebro, tais como o Alzheimer.
 
A alimentação rica em gorduras e com deficiência nutricional já foi relacionada à demência, aumento da pressão arterial e colesterol elevado no sangue, dizem os estudiosos. Pesquisas recentes ainda apontam que o excesso de produtos ricos em gorduras e glicose danifica e interfere na produção de insulina no organismo.
 
A insulina, secretada pelas ilhotas de Langerhans no pâncreas, promove a captação, o armazenamento e a rápida utilização da glicose e dos lipídios na maioria das células corporais (musculares, adiposas e hepáticas), controlando dessa maneira a intensidade do metabolismo da maioria dos carboidratos.
 
Os testes realizados em ratos apontaram que os animais que pararam de usar a insulina, tiveram sintomas característicos do Alzheimer.
 
Outro estudo desenvolvido pelo Instituto Sapientiae, em São Paulo, revelou que a diminuição drástica de alimentos oriundos de fast foods também influenciou na produção de esperma entre os homens. As chances de engravidar duplicaram com a modificação de hábitos alimentares durante um tratamento de fertilização assistida. A nutricionista do Fertility - Centro de Fertilização Assistida e pesquisadora do Instituto Sapientiae, Gabriela Halpern, afirma que “além dos inúmeros estudos comprovando os malefícios à saúde como um todo - principalmente em relação à saúde do coração, obesidade e diabetes - há evidências do prejuízo causado em quem quer ter um filho".
 
Pesquisas realizadas na Universidade de Oxford apresentam, ainda, que 36% dos homens estudados e que relatavam problemas de fertilidade são obesos e 20% apresentavam sobrepeso. O prognóstico da juventude atual também assusta os especialistas, a estimativa é que 23% dos jovens meninos e 37% das meninas adolescentes, entre 11 e 15 anos, serão considerados obesos em 2050.
 
A obesidade hoje é considerada um problema de saúde pública em muitos países. Neste contexto, muitos fast foods contribuem para que essa condição se agrave cada vez mais. 
 
 
Fonte: Terra, iSaúde