Enfermeira fatura alto com a venda de programas de saúde personalizados

02/07/2015

Educar seus pacientes para que não adoecessem novamente sempre foi a motivação da enfermeira Luciana Lauretti. Com essa missão, ela fundou a AzimuteMed em 2010, uma empresa que espera faturar R$ 14 milhões neste ano, 60% mais que em 2014.

Com mais de 30 mil pacientes cadastrados, o que a AzimuteMed faz é permitir que eles participem de programas personalizados desenvolvidos para algumas doenças e condições de saúde, como artrite, diabetes, esclerose múltipla, esquizofrenia, gestação de risco, hipertensão, câncer de pulmão e leucemia, entre outros.

A base do acompanhamento, segundo Luciana, é o atendimento humanizado, com linguagem acessível.

Ao ingressar no programa, a primeira conversa é por telefone. Em seguida, o paciente pode receber visitas presenciais ou online, através de videoconferência, e-mails e mensagens de texto via celular.

Atualmente, a equipe realiza 2.600 visitas mensais, em média, e 890 contatos diários por telefone. Os atendimentos online somam 60 sessões por mês e todo o histórico do paciente é gerenciado por um software próprio da empresa.

Para criar a AzimuteMed, Luciana investiu cerca de R$ 100 mil. Os clientes diretos da empresa são a indústria farmacêutica, as operadoras de planos de saúde, as organizações e as corretoras. Essas, por sua vez, oferecem o benefício aos seus usuários.

“O objetivo é apoiar pessoas portadoras das mais diversas doenças, proporcionando adesão ao tratamento, facilitando o acesso a medicamentos e orientando sobre os cuidados e prevenção, contribuindo para a estabilidade da saúde das populações e otimização do investimento das empresas”, afirma Luciana.

Hoje, a AzimuteMed tem 15 clientes, entre elas GSK, Genzyme Sanofi, Janssen, Novo Nordisk, SulAmérica, Bradesco Saúde e Novartis.

 

FONTE: revistapegn.globo.com