Aumento dos casos de gêmeos tem explicação

11/09/2014

Aumento considerável no número de nascimento de gêmeos, no Brasil e no mundo, do anos 80 até hoje tem chamado atenção de pesquisadores de todo mundo. A primeira vista, há uma explicação lógica: o aumento do número de tratamentos de reprodução assistida, tendo em vista que nestes casos, são implantados mais de um embrião no útero. Contudo, o mesmo estudo aponta para outros fatores que podem influenciar na gestação múltipla.

De acordo com a matéria do site UOL, a cada 40 nascimentos, um é de gêmeos, sendo univitelinos ou bivitelinos. Entre os dois tipos de gemelaridade, o caso de gêmeos idênticos (univitelinos) é mais raro.

O que influencia na gestação múltipla também tem a ver com a hereditariedade, "Presume-se que a predisposição a liberar dois óvulos seja uma herança ligada ao cromossomo X", conforme explica Jorge Haddad Filho, coordenador do Programa de Reprodução Assistida da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) ao UOL.

Contudo existem inúmeros fatores que contam - e estão em estudos, para a geração de bebês múltiplos, como a idade, altura e o índice de massa corporal (IMC) da gestante. Também se estuda os efeitos da interrupção do uso de anticoncepcionais que elevariam a liberação de folículos e até sobre o consumo de produtos de origem animal, como o leite.

Para ler a matéria na íntegra, clique no link da fonte.

Fonte: http://mulher.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2014/07/16/casos-de-gemeos-duplicam-no-mundo-especialistas-explicam.htm#fotoNav=2